Pontilhismo

A exposição “Henri-Edmond Cross e o Neo-impressionismo. De Seurat a Matisse (1856- 1910)”, apresentada até junho no Museu Departamental Matisse, na cidade de Cateau-Cambrésis, no norte da França. A mostra destaca os vínculos estabelecidos pelo pintor, os anos artísticos em Paris durante os quais ele conhece Georges Seurat, Paul Signac e os primeiros “neo-impressionistas”. Com empréstimos vindos de museus internacionais e privados, a exposição conta com centenas de telas e aquarelas emblemáticas do período, tendo Saint-Tropez como ponto de encontro para uma geração mais jovem, onde Henri Matisse era um dos novatos dessa trupe.

Na cenografia aparecem em evidência as pinturas de artistas do primeiro grupo Neo-Impressionista, como Cross, Paul Signac, Albert Dubois-Pillet, Camille Pissarro, Luce, Théo Van Rysselberghe, que colocaram em prática a técnica disciplinada do Pontilhismo. Ao mesmo tempo que o contraste em paralelo entre Cross, Signac e Van Rysselberghe, cujas pinturas primavam pelo desenvolvimento da cor, são evidenciadas. Seguindo um repertório que destaca as ligações entre Cross e os pintores da geração mais jovem, como Charles Camoin, Henri Manguin e Matisse, a exposição estabelece um marco importante entre o Divisionismo de Seurat e deixa um lugar privilegiado para as aquarelas que marcaram a carreira de Cross.

About Marilane Borges

Eu amo a França e nutro desde sempre uma paixão por Paris, onde decidi viver por minha própria conta, talento e risco. Deu certo e continuo feliz com minhas escolhas. O Mademoiselle Borges é uma das janelas da minha alma de onde vislumbro beleza, talentos e pessoas interessantes. Deleite-se!