Joana francesa

A artista portuguesa Joana Vasconcelos não se fez de rogada e invadiu o Castelo de Versalhes com cores, música e muita feminilidade. Tal qual uma rainha consciente de seu poder, Joana assumiu os aposentos reais como se fossem a sua própria casa e instalou suas obras gigantescas evocando as mulheres que habitaram Versalhes, dentre as quais, Maria Antonieta. “Minha intenção com essa exposição é render homenagem às mulheres que viveram aqui e que participaram de momentos decisivos na história da França. Colocar em evidência a importância do feminino nesse lugar de representação da realeza, foi uma das minhas inspirações desde o princípio,” confessa a artista de 41 anos.

Numa das  salas, a que abriga dois corações, um preto  e outro vermelho, o visitante aprecia essa obra ao som de uma música romântica. “Nada mais adequado que o fado para traduzir o verdadeiro sentido de uma paixão”, afirma a artista. Em outra sala, um helicóptero inteiramente decorado com plumas cor de rosa chama a atenção. “Esse seria o transporte dos habitantes do castelo nos dias atuais, algo como a versão moderna da carruagem”, comenta. Sobre a decoração extravagante, Joana explica que é porque essa máquina parece com um pássaro, por isso, escolheu metamorfoseá-la com plumas.

Na Galeria das Batalhas,  a artista que veio especialmente de Lisboa para a abertura oficial de sua exposição, observa admirada as três Valquírias gigantescas, que representam deusas guerreiras. Essas fabulosas peças serpenteiam as salas reais com suas curvas feitas de tecidos em cores brilhantes, executados e fabricados em Portugal, que acumulam jogos americanos bordados numa trama extravagante e complicada, cortinas, guirlandas de flores e muitos outros retalhos para compor essa obra suspensas no teto por cabos de tensão calculados por engenheiros.

Joana comenta que eles, assim como as bordadeiras e costureiras, que fornecem tecidos feitos de acordo com as tradições portuguesas, compõem sua equipe de trabalho. “Sem eles, essa exposição seria inviável”, agradece a artista que coordena em seu ateliê mais 100 colaboradores.

Poliglota, articulada, feminista e insolente, Joana Vasconcelos é uma das jovens artistas mais em voga de Portugal e sua notoriedade aumenta à medida que suas obras se tornam pôlemicas. Uma de suas peças, intitulada “Noiva”, um lustre composto de vários absorventes íntimos, foi interditada para apresentação em Versalhes. Quando questionada sobre essa recusa, a artista minimizou: “As polêmicas sempre fazem parte das grandes exposições. Mas o artista deve respeitar a história do local em que expõe e Versalhes é um espaço estético carregado de tradições…” Ironia à parte, Joana era toda sorrisos e alto-astral, afinal, esse não era o assunto mais importante no dia da abertura oficial da exposição mas, sobretudo, sua posição privilegida como artista contemporânea e como a primeira mulher a expor no castelo do Rei Sol.

www.chateauversailles.fr

About Marilane Borges

Eu amo a França e nutro desde sempre uma paixão por Paris, onde decidi viver por minha própria conta, talento e risco. Deu certo e continuo feliz com minhas escolhas. O Mademoiselle Borges é uma das janelas da minha alma de onde vislumbro beleza, talentos e pessoas interessantes. Deleite-se!